ONErpm Sky Sessions #7: SOMBRA

Integrante fundador do grupo de rap SNJ, o MC Sombra é o personagem deste novo episódio de ONErpm Sky Sessions, com a música “Rap do Brasil”. Primeira faixa do seu segundo disco solo chamado Fantástico Mundo Popular, esse single traz uma mistura de rap e reggae fugindo das convenções, nada incomum vindo do Sombra que já evitava qualquer espécie de catálogo desde o SNJ.

Se liga só como ficou essa versão no topo do Edifício Eiffel:

MC Sombra nasceu na Zona Norte de São Paulo, berço de rappers como Edy Rock, KL Jay, Kamau e Emicida, e nos contou um pouco sobre a influência regional nas suas músicas, além da separação do grupo SNJ, que ele ficou longe durante dez anos. O rapper ainda falou um pouco sobre sua carreira solo e seus dois discos, além das parceiras que fez e sobre como ele enxerga o rap brasileiro. Curta o bate-papo:

10 qualidades essenciais de um grande bandleader

image

Não importa como é o ego de cada integrante da sua banda, todo grupo precisa de um líder, quer eles gostem ou não. E estas dez qualidades vão ajudar a enfrentar os problemas e diversas situações que você e sua banda podem passar.

  1. Profissionalismo
     Músicos normalmente são estereotipados como festeiros e irresponsáveis, mas toda banda que quer ser grande sabe exatamente o quão importante é provar que os outros estão errados quanto a isso. Ser profissional inclui organizar a agenda de ensaios e shows com adiantamento, chegar no horário, estar totalmente preparado para ensaiar, promover os shows com antecedência, responder e-mails e telefonemas em tempo hábil.

  2. Paciência
    Vai demorar um tempo para o seu grupo ser o que você quer que ele seja, então aproveite a caminhada. Se você é muito ansioso, você pode acabar dando um tiro no próprio pé. Encontre as pessoas certas para o gênero que você quer, e então pratique, pratique e pratique mais um pouco antes de se apresentar ou gravar algo. As coisas vão dar certo se você for paciente, positivo e humilde.

  3. Respeito
    Assim como num relacionamento, as expectativas e necessidades de cada pessoa devem ser discutidas. Lembre-se que cada músico carrega sua própria experiência, talentos, ideias, paixões e objetivos pessoais, então deixe isso se desenvolver. Se um membro se sentir valorizado e apreciado individualmente, ele provavelmente vai trazer energias positivas e mais ideias para o grupo.

    Se alguém faz algo bem, dê um retorno positivo – isso vai motivá-lo a fazer sua melhor performance sempre.

  4. Mente aberta
    Em todo processo criativo você estará suscetível a erros. Quando você estiver trabalhando com o grupo para um novo material ou criação de novas composições vai ser inevitável ter momentos de imperfeição. Tenha uma sessão de brainstorm, deixe fluir as ideias e permita que outras pessoas participem e contribuam com ideias. Isso vai acontecer de forma mais tranquila caso o líder crie uma atmosfera de apoio. 

  5. Visão macro da situação
    Muitos aspectos da banda podem mudar e se desenvolver ao longo do tempo, mas é sempre bom ter uma noção do que você está criando e onde você quer chegar. Normalmente, o líder é o responsável por visualizar isso, entender os conceitos e determinar o que precisa ser feito para chegar ao destino final.

  6. Habilidade de delegar
    As vezes, muita responsabilidade em uma só pessoa faz com que ela perca detalhes considerados importantes. É humanamente impossível lidar com tudo sozinho. Se você tem muito a fazer, delegue – e deixe isso bem claro. Se todos os membros tiverem responsabilidades, os trabalhos serão mais equilibrados e todos vão aproveitar mais. 

  7. Boa comunicação
    É muito útil e importante para os outros membros se o líder expressar seus ideais, objetivos e visões. E isso é para tudo, desde gênero musical até frequência de shows. 

    É o líder quem alinha as expectativas e mantém os membros da banda responsáveis e ligados no que está acontecendo. Por exemplo, mesmo que pareça estranho, é perfeitamente aceitável chamar alguém para conversar e pedir para sair da banda por não estar colaborando. Ninguém quer ficar preso em alguém que não gosta de praticar, ensaiar e que atrase a evolução do grupo.

  8. Determinação e decisão
    Bons líderes tem que ter a capacidade de pensar rapidamente e estarem confiantes nas suas decisões. Por exemplo, se há tempo apenas para mais uma música, e no set list ainda tem duas, todos do grupo devem saber quem é que vai decidir qual vai ser a escolhida.

  9. Auto-crítica
    Não há problemas em você dar orientações, mas os outros membros também precisam ter um pouco de controle. Mesmo se você não concordar com a opinião de seus colegas de banda, ao menos apoie eles mostrando que as críticas são importantes para evolução do grupo. Sempre trate as pessoas da maneira que você gostaria de ser tratado.

  10. Ser motivador
    Você vai ter 100% da sua banda se todo mundo estiver se divertindo e se sentindo motivado. Reconheça  que os membros da sua banda estão arranjando tempo para aprender novas músicas, ao invés de estar fazendo outra coisa. Faça com que essa experiência seja divertida e estimulante, para que todos estejam envolvidos.

Faça download de forma legal

Com o surgimento do MP3, a indústria da música teve que se reinventar. A ideia de livre circulação afetou a forma como as pessoas lidam com o conteúdo musical, baixar músicas pela Internet se tornou a maneira mais popular de encontrar e curtir seus cantores e hits favoritos. Com isso, em pouco tempo, o compartilhamento tomou conta da rede, preocupando artistas e gravadoras.

Fazer o download de uma faixa ilegalmente prejudica seu ídolo, que não tem como mensurar o impacto de suas músicas em determinados lugares e acaba perdendo dinheiro por não vender sua arte. Na tentativa de sobreviver nesse novo mundo dos downloads surgiram lojas online, que vendem apenas uma faixa do CD, serviços de streaming e sites de artistas com música livre.

Procure em grandes lojas online
A Amazon tem um largo catálogo online de MP3 livre, além dela ainda há a seção gratuita do iTunes. Muitas vezes, o grande problema é que nesses sites só é possível encontrar músicas de artistas alternativos, mas garimpando bastante você acaba encontrando algumas faixas mais populares.

Pesquise websites de artistas
Se estiver à procura de faixar específicas, busque diretamente pelo artista ou pela gravadora. Virou comum os músicos disponibilizarem alguns singles para download, antes do lançamento de novos álbuns. As gravadoras também costumam disponibilizar novas faixas sem cobrar ou a troco do seu e-mail.

Biblioteca em serviços de streaming
A ideia é aumentar seu catálogo musical? Então saiba que a maioria dos principais serviços de streaming pode integrar de forma bastante simples sua biblioteca já pré-existente, além de agregar uma série de músicas novas que podem ser ouvidas online.

No Spotify, por exemplo, todas as músicas que você escuta são adicionadas automaticamente à sua biblioteca. Com Rdio sua coleção é essencialmente uma extensão do que você já possui. Serviços online não são exatamente como ter seu próprio MP3, mas são uma boa alternativa para estender sua biblioteca atual.

5 razões para seus vídeos serem ignorados

Vamos falar de YouTube. Nós podíamos falar sobre o incrível vídeo do cachorro vestido de aranha que em poucos minutos atingiu milhões de visualizações. Ou quem sabe falar sobre os novos videoclipes que estão para ser lançados em setembro, mas resolvemos falar sobre algo mais construtivo e interessante: monetização de vídeos. 

MONE-O-QUÊ?
É, isso aí. Vem de “money” mesmo. Pode ser também dinheiro, dim-dim, bufunfa, grana, verdinha, como quiser chamar. Monetização significa “transformar algo em dinheiro”, neste caso “algo” é igual “seus vídeos”.

O YouTube é o principal serviço de vídeos no mundo e ele permite ao artista entrar em contato com os fãs de diversas maneiras possíveis. E você vem e diz: “mas eu estou no YouTube e não tenho visualizações!”. Então, meu caro, você está fazendo isso errado. MUITO errado. Aqui estão cinco motivos para seus vídeos estarem sendo ignorados:

1. Você não tem fãs
Pense neste cenário: você faz uma gravação de uma versão acústica, diferente, de uma das suas músicas e resolve colocá-la no seu YouTube. Contextualizando: seu canal tem apenas dois assinantes, sua página no Facebook tem cerca de 300 likes e você tem uns 100 seguidores no Twitter. O seu vídeo atinge pouco mais de 50 visualizações e você fica se perguntando “porque não viralizou?”. Seguinte, é porque você não criou algo interessante suficiente que gerasse visualização de alguém que não fosse um fã fiel. Não há sentido em fazer o upload tem uma versão rara de uma música quando seus fãs é que são raros.

2. Você pode fazer vídeos “virais”
Antes de fazer um novo vídeo, você chega pros colegas da banda e fala “vamos fazer um vídeo viral!”? Dica: você está fadado ao fracasso. Procure por “viral” no dicionário e você vai entender o seu erro. Foque em criar conteúdos consistentes que seus fãs queiram ver. Pense que seu público gostaria de compartilhar apenas vídeos incríveis. Crie conteúdo com o propósito de aumentar o tempo de visualização no seu canal. Ao focar no tempo, consistência e qualidade dos seus vídeos, as visualizações vão aumentar naturalmente.

3. Você está incomodando com auto-promoção
Use a ferramenta de anotações do YouTube de maneira inteligente para manter as pessoas no seu canal. Qualquer coisa além disso é irritante. Isso significa: não utilize “COMPRE O ÁLBUM JÁ” cobrindo partes interessantes do vídeo ou por cima do seu rosto quando estiver cantando. Respeite o seu público dando a eles coisas que eles realmente queiram ver.

4. Você não otimiza seus vídeos para ser encontrado organicamente
Você pode ter um ótimo vídeo, mas deixar a descrição em branco e não colocar um título e tags relevantes faz com que seja incrivelmente difícil achar seu trabalho. O próprio YouTube disponibiliza um tutorial de como otimizar seus vídeos e canal, desde metadata até thumbnails. Tire alguns minutos do seu tempo para lê-lo – seus fãs ainda não descobertos agradecem.

5. Você está gravando seu vídeo com um celular na vertical
JAMAIS faça isso. Seus vídeos precisam parecer profissionais, mesmo sendo caseiros (se você espera que as pessoas os vejam).

Quer saber mais sobre monetização? Clique aqui

Artistas ONErpm na final do Prêmio Deezer

Algumas semanas atrás anunciamos o Prêmio Deezer ABMI de Novos Talentos, um incentivo para novos artistas usarem todo potencial do streaming. Cerca de mil artistas se inscreveram para a primeira fase, dividida em cinco regiões - sudeste, sul, centro-oeste, norte e nordeste -, e foram escolhidos um artista de cada local para a etapa final. Para concorrer ao prêmio era necessário fazer distribuição digital de suas músicas usando o Deezer.

Agora, cada candidato selecionado será avaliado por grandes nomes da produção musical, como Charles Gavin, João Marcelo Boscoli, Marcelo Soares e Thomas Roth. Serão escolhidos dois vencedores: um pelo júri e outro, via internet, pelo público. Dentre os ganhadores da primeira etapa, os representantes do sudeste e do sul tem parceria com a ONErpm para distribuição digital de suas músicas - foi assim que as músicas desses artistas chegou ao Deezer e o mesmo pode acontecer com o seu som. E forma gratuita: é só se cadastrar.

Se liga nos escolhidos para etapa final e já dá curte o som deles, pois o voto popular também é válido!

Finalista sudeste: Anelis Assumpção

A cantora e compositora, filha de Itamar Assumpção, mescla influências de dub, reggae, afrobeat, rap, músicas de cabaré, samba e bossa nova. Iniciou a carreira aos 18 anos fazendo backing vocal na banda do pai.

Vote Aqui

Finalista sul: Bibiana

Deu seus primeiros passos no violino e música clássica ainda na infância. Aos 15 anos começou a tocar profissionalmente, sempre na companhia de bons músicos e amigos. O primeiro álbum autoral, Dengo, tem participações especiais de músicos como Júlio Reny e Totonho Villeroy. Para ela, a música representa alívio, amizade e sentido.

Vote Aqui.

Finalista Centro-Oeste: Bruna Mendez
O termo brasilidade é o mais apropriado para classificar o som da Bruna. Influenciada pelo movimento da nova MPB, a cantora mescla diversos gêneros como o samba, baião, rock, bossa nova e a própria MPB, como se batesse em liquidificador musical diversos ritmos e melodias.

Finalista nordeste: Heitor Dantas

Heitor Dantas é um compositor popular que atua desde 2004 no cenário musical baiano como instrumentista e compositor. Ele busca tornar a canção popular uma linguagem plural, onde o pensamento livre pode se manifestar naturalmente.

Finalista norte: Natália Matos

A jovem cantora e compositora chega cheia de novidade para lançar seu primeiro disco. Natália é admiradora da música brasileira e estudou piano na Escola de Música da Universidade Federal do Pará e canto popular na Universidade Livre de Música. 

Escutou? Escolheu seu favorito? Agora é só votar!

Seu som ainda não está no Deezer? Cadastre-se na ONErpm e coloque suas músicas lá de graça.

Coloque suas músicas no Rdio e participe do VOZPRATODOS

O concurso VOZPRATODOS vai fazer sua banda subir no palco junto com Linkin Park, Kings of Leon, Panic at The Disco, Paramore e várias outras. O Circuito Banco do Brasil vai dar oportunidade para bandas independentes se apresentarem em cada estado que o festival passar. 

As inscrições para Belo Horizonte e Brasília já estão abertas e é bom ter suas músicas no Rdio, para ter mais chance do júri conhecer você. Sabe como colocar suas músicas lá? Cadastre-se na ONErpm que colocamos o seu som de graça! 

image

O esquema vai funcionar da seguinte maneira: todas as bandas serão avaliadas para separar 10 finalistas, que irão a júri popular. No final, o preferido do público vai ter lugar cativo no line up desse evento, além de garantir passagem e hospedagem no estado em que se inscreveu. E os vencedores de cada estado ainda ganham uma assinatura PRO da ONErpm para distribuir suas músicas em diversos serviços de streaming pelo mundo.

Para se inscrever, além de ter suas músicas distribuídas no Rdio (link cadastre-se), é necessário responder um rápido e divertido questionário com questões como “quantas cordas de guitarra já estouradas em shows?”, apenas para se apresentar, pois o que conta de verdade é o seu talento e boa música.

Nos dias 22/09 e 29/09 começam as inscrições para São Paulo e Rio de Janeiro, respectivamente, então cadastre-se na ONErpm e suas músicas já vão estar no Rdio quando chegar a hora de se inscrever! Lembrando que morar na cidade não é pré-requisito, artistas de todo o Brasil podem se inscrever.

Rdio, Deezer, Spotify, Grooveshark? Todos eles!

image

Os serviços de streaming de música online têm ajudado - e muito - a combater a pirataria, fazendo com que os artistas voltem a lucrar, com reproduções e direitos autorais. Além de fazer com que os músicos atinjam um número imenso de pessoas.

No Brasil, os mais populares são o Spotify, Deezer e Rdio, que disputam a preferência do consumidor de música online. E na hora de escolher, qual a melhor opção? 

Rdio
O Rdio foi o primeiro serviço de streaming a desembarcar em solo brasileiro, e oferece um catálogo de mais de 30 milhões de músicas, incluindo as mais diversas opções locais. E o Rdio ainda está disponível nos principais sistemas móveis, Android, BlackBerry, iOS e Windows Phone.

O Rdio é uma plataforma de streaming com cara de rede social, você pode descobrir músicas através de amigos, de maneira muito fácil. A versão gratuita dura seis meses, sem anúncios. Depois, o serviço cobra uma assinatura mensal de R$ 14,90.

Deezer
O Deezer Brasil só perde para a França em número de usuários. São dois milhões de brasileiros ativos na versão gratuita, com anúncios. Para aproveitar o catálogo de 30 milhões de músicas offline no celular, a assinatura mensal é de R$ 14,90, e também é compatível com Android, BlackBerry, Windows Phone e iOS.

Spotify
O Spotify foi o último a chegar ao Brasil, mas é o líder mundial do setor, com 40 milhões de usuários no planeta e um catálogo de 30 milhões de músicas. Em termos de plataforma offline, Spotify sai na frente por ter plugins que podem ser instalados no player do desktop, seja para visualizar letras de músicas ou receber recomendações do Last.fm. A assinatura mensal custa R$ 14,90 e é possível ter acesso às músicas vi Wi-Fi ou 3G no celular.

Grooveshark
O Grooveshark vem correndo por fora, por ter versão gratuita, com anúncios, e permitir ouvir offilne a preço mais baixo que a concorrência: R$ 11,00. No entanto, todo acervo é gerado por upload de usuários, o que dá um aspecto colaborativo à plataforma.

Outras empresas importantes no cenário mundial de streaming de música, como Pandora, Google Play e iTunes Radio, ainda não chegaram no Brasil. Se chegarem por aqui, certamente o brasileiro terá ainda mais incentivo para abandonar de vez a pirataria e o hábito de baixar MP3. 

Nova parceria: ONErpm e Olelê Music

image

No Rio Grande do Sul, Olelê Music é sinônimo de sucesso no meio musical. O selo, em atividade desde 2007, já lançou nomes como Comunidade Nin-Jitsu, Cachorro Grande, Fresno, Acústicos e Valvulados, Ultramen e muitos outros. A Olelê ainda ajuda artistas que buscam se destacar no mercado musical com assessoramento e consultoria para buscar uma inclusão diferenciada, desenvolvendo estratégias personalizadas para cada caso.

Dentre os destaques, a Olelê Music é a responsável por levar diversos artistas para o palco do Planeta Atlântida, Porão do Rock, Abril Pro Rock e vários outros festivais pelo Brasil. 

O mais legal de tudo isso é que a Olelê Music agora é parceira da ONErpm no sul do Brasil e representante oficial. Aos poucos o catálogo musical do selo vai ficando disponível no mercado digital: onerpm.com.br/olelemusic

MC Bola é a sensação de ONErpm Sky Sessions

O personagem deste ONErpm Sky Sessions é o MC Bola, que fala um pouco mais sobre o funk e sobre sua carreira. O funkeiro conta que já está há 13 anos na estrada e como teve que se dedicar muito para chegar onde está. Também sobram comentários sobre o cenário funk atual, a música “Menina Treinada” e sua história como sambista. Clica aqui embaixo pra ver como foi o bate-papo com o criador do hit “Ela é Top”. 

E como não podia deixar de ser, aproveitando a noite paulista de fundo, MC Bola soltou a voz no topo do Edifício Eiffel e mostrou por que é tão respeitado pela massa funkeira. A música escolhida foi “Menina Treinada”, novo single de trabalho do cara.  Se liga como ficou essa versão nesse vídeo: 

Um combo de competência e dedicação: Supercombo

image

Uma banda que tem multi-instrumentistas de diferentes origens não poderia haver um nome mais apropriado: Supercombo. Formado pelo vocalista Leo Ramos, que nasceu em Geneve (Suíça), o guitarrista Pedro Ramos, de Gravataí (RS), a baixista Carol Navarro, de Santo André (SP), o tecladista Paulo Vaz, de São Paulo (SP), e pelo baterista Raul de Paula, de Curitiba (PR), a Supercombo está conquistando o Brasil, com seu novo álbum Amianto. 

Trocamos uma idéia com o Paulo Vaz, que nos contou um pouco sobre o novo álbum e a trajetória da banda. Supercombo sempre foi uma banda engajada no cenário independente e hoje conta com ajuda da ONErpm para levar sua música mais longe. 

image

O single “Piloto Automático” devia vir com um aviso: “cuidado, pode ser contagioso”. Vocês esperavam que essa música se tornasse tão popular e fácil de cantar?
Não. Na verdade foi uma grande surpresa. Fizemos esta música para retratar o dia-dia da atualidade, que é a da banda também. Porque a gente acaba caindo na rotina automática dessa vida maluca e precisamos nos lembrar de correr atrás das coisas que realmente importam. Essa música é meio que um lembrete pra colocar essas coisas em prática. 

Amianto traz umas letras com uma temática cotidiana, que aproxima do público. Essa aproximação é intencional? 
Na verdade não, tudo que foi escrito no disco tem a ver com o que vivemos e nos deixamos influenciar pelos filmes, músicas, quadrinhos e arte em geral que absorvemos diariamente. Rola sempre aquela comparação metaforizada das coisas rotineiras com situações fantásticas e mirabolantes, que saem da nossa cabeça e acabam virando um estilo de escrita que nós gostamos bastante.

Além da nova formação da banda, de Sal Grosso pra Amianto, qual foi a maior mudança? 
Na forma de compor e na organização em geral. Hoje a banda além de compor junta, cada um trouxe uma bagagem muito diferente, influências e ideias divergentes fizeram com que a banda mudasse a sonoridade e a performance ao vivo, além de colocar a ‘casa em ordem’ já que a banda era muito desorganizada. (risos)

Rodando o país de forma independente, como vocês analisam o cenário underground brasileiro?
A gente vê muita banda reclamando da falta de espaço e de público, mas o que falta no underground é a união entre as bandas para produzir conteúdo inovador e eventos interessantes pra tirar a galera de casa e da frente dos smartphones. Só reclamar não adianta muito. 

De que forma plataformas digitais, como a ONErpm, tem ajudado na distribuição do seu álbum?
Estamos na era digital e se não fossem ferramentas como a ONErpm para distribuir nossos álbuns, estaríamos destinados a morrer na praia junto com os discos físicos. Sem falar nos projetos que acabam aparecendo junto com isso como, o Sky Sessions que gravamos lá e que foi muito legal. 

É favorável a resposta do público diante desses novos tipos de tecnologia, como a venda digital?
Com certeza. Cada dia que passa, fica mais fácil pra consumir música sem sair de casa e as pessoas tem aderido com força a essa tendência.

image

Acredito que para se dedicar 100% à música é necessário abdicar de algumas coisas e passar por algumas barreiras. Vocês se lembram de algo complicado que tiveram de superar? Algo que depois você pensa “isso é preciso, pra ser músico”?
Tem sim. Passar o ano novo longe da família, ficar longe dos filhos, às vezes, abrir mão de algum trabalho que pague muito pra ir fazer um show de divulgação. Mas tudo vale a pena porque a gente faz o que ama e não é como se alguém estivesse obrigando a gente a fazer música.

E lembram de algum momento que foi um mico total? Que na hora foi assustador, mas depois virou aquelas histórias para achar graça? Tipo, esquecer a letra durante um show, perder a hora, coisas assim…
O Leo esquece alguns pedaços de letra em quase todo show. A Carol já caiu do palco (esse foi um pouco assustador porque ela ficou em silêncio, mas depois levantou bem). O Raul já saiu do palco porque estava com calor. (risos)

Qual a dica de vocês para quem está começando? Devem sorrir mais, sair do piloto automático?
Produzir MUITO conteúdo. Quanto mais música você fizer, mais confortável você vai ficando e vai aprendendo o que você pode e o que não pode fazer. É importante saber dos seus limites e depois tentar supera-los.

Sua banda também é engajada com o cenário independente? Se você trabalha bastante para conquistar novos fãs e mostrar seu talento para diferentes pessoas em diversos locais, venha para a ONErpm! Cadastre-se e nós te ajudamos a conquistar o seu sonho.